Horta solidária

DESCRIÇÃO
Com este projeto pretendemos criar uma Horta Solidária facilitadora da inserção social e comunitária, destinada a pessoas socialmente desfavorecidas e pouco qualificadas, acompanhadas pelo Departamento de Acção Social da Instituição e da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro e que paralelamente tenha uma vertente pedagógica. Será instalada em quinta com cerca de 30.000 m2, que a instituição possui no Lugar da Lavandeira, onde já está a funcionar a Unidade de Cuidados Continuados.

Primeiras culturas
Alfaces

Primeiras culturas
Cebolo, Alfaces e Couves

Primeiras culturas
Cebolo

Objetivos

Elaborar regulamento de funcionamento, quer da horta quer da equipa de projeto, com indicação das responsabilidades e participação dos parceiros financiadores do projeto ao longo da execução – criação da equipa de acompanhamento do projeto;

Desenvolver competências pessoais e socioprofissionais junto de grupos socialmente desfavorecidos;

Favorecer o contacto de grupos socialmente desfavorecidos com atividade económica, evitando o risco do seu isolamento, desmotivação e marginalização;

Criar um espaço de partilha solidária em que o beneficiário, em troca de alimentos, ajuda quer na produção dos mesmos quer na instituição, numa perspetiva de cidadania ativa – troca o seu tempo por alimentos e/ou refeições;

Construir uma imagem mais positiva da população beneficiária de prestações sociais na comunidade;

Rentabilizar a quinta existente, desenvolvendo atividades económica e socialmente úteis, pela produção de produtos agrícola para consumo na instituição e para venda;

Permitir à instituição ter alimentos frescos para atribuir cabazes alimentares que serão entregues às famílias carenciadas;

Criar uma horta pedagógica de apoio às organizações sociais e escolas, proporcionando uma vertente prática;

Produzir flores e arbustos para venda (a preço compensador) à autarquia para que esta os possa utilizar para manter os espaços da cidade verdes e ajardinados, ao abrigo de protocolo a estabelecer (a Câmara Municipal de Oliveira do Bairro não tem viveiro);

Desenvolver campanha de marketing em volta do projeto para captar investimento do tecido empresarial – apadrinhamento do projeto pela oferta de um utensílio agrícola em que o retorno não é financeiro;

Campanha geral “ Dê-nos o que já não precisa” – a divulgar na comunidade no sentido de as alfaias agrícolas que as pessoas têm e já não precisam serem entregues na SCMCOB, para serem utilizadas na horta;

Desenvolver atividades que permitam à horta auto financiar-se, como por exemplo workshops de agricultura e jardinagem ao fim de semana.

Este projeto assenta na premissa que os indivíduos têm capacidade para se desenvolverem a si e à comunidade local através da participação ativa e do trabalho. Desta forma promovemos a responsabilização e capacitação destas pessoas, motivando processos de mudança sustentada com base na mobilização das suas capacidades.

Com o seu envolvimento em trabalho socialmente útil provocaremos uma alteração da perceção negativa que a comunidade tem em relação à população beneficiária de prestações sociais associada à ociosidade. Paralelamente, ao promover a troca de bens alimentares pela ajuda na produção dos mesmos, trabalhamos a autoimagem e autoestima.

Com este projeto iremos contribuir para que a população beneficiária aprenda uma profissão esquecida por muitos e desconhecida por outros e que pode ser um balão de oxigénio na economia familiar.

Pretendemos ainda revitalizar a Quinta da Lavandeira promovendo projetos de desenvolvimento local, nesse sentido esta horta comunitária irá ser absorvida pelo futuro Centro Comunitário que é uma prioridade para nós e que faz parte do Plano de Desenvolvimento da instituição.