Resposta sociais

DESCRIÇÃO
Este sector é constituído pelas Respostas Sociais: Creche, Estabelecimento de Educação Pré-Escolar (EEPE), Centro Actividades de Tempos Livres (CATL) e Centro Actividades Ocupacionais (CAO).

Creche

Resposta social, desenvolvida em equipamento, que se destina a acolher crianças com idades compreendidas entres os 3 meses e os 3 anos, durante o período diário, que corresponde ao do trabalho dos pais.

A missão da creche consiste em promover o bem-estar e o desenvolvimento integral das crianças, num clima de segurança afectiva e física em colaboração estreita e constante com a família através da partilha de cuidados e responsabilidades (Guião Técnico da Direcção Geral da Acção Social).

Esta resposta é desenvolvida pela Santa Casa desde 1986 e apoia cerca de 53 utentes.

Estabelecimento de Educação Pré-Escolar (EEPE)

É um serviço que se destina a crianças dos 3 anos até à idade de ingresso no ensino básico proporcionando actividades educativas e de apoio à família (Lei n.º 5/97, de 10 de Fevereiro – Lei Quadro da Educação Pré-Escolar).

Neste momento, o Jardim-de-infância da Santa Casa apoia cerca de 66 utentes, distribuídos por 3 salas.

Centro Actividades de Tempos Livres (CATL)

O CATL é uma resposta social que se destina a proporcionar actividades de lazer e de animação sócio-cultural a crianças, a partir dos 6 anos, nos períodos disponíveis das responsabilidades escolares (Guião Técnico da Direcção Geral da Acção Social).

De momento, o CATL da Santa Casa, que entrou em funcionamento em 1986, apoia 50 crianças (sendo 3 portadores de deficiência) do 1.º ciclo. No entanto, a curto prazo, também poderá apoiar um grupo de jovens do 2.º ciclo.

Centro Actividades Ocupacionais (CAO)

Estrutura destinada a desenvolver actividades para jovens e adultos com deficiência grave e profunda, tendo por objectivo: estimular e facilitar o desenvolvimento das suas capacidades; facilitar a sua integração social; facilitar o seu encaminhamento, sempre que possível, para programas adequados de integração sócio-profissional (DL n.º 18/89, de 11de Janeiro e Despacho n.º 52/SESS/90, de 16 de Julho); e contribuir, em conjunto com as famílias, para o bem-estar sócio-emocional dos utentes.

A Santa Casa desenvolve esta resposta desde 1996 que, neste momento, é frequentada por 20 jovens/adultos.